___________________________

Blog

___________________________

O Desafio do Lixo Eletrônico: Como a Obsolescência Programada Contribui para um Problema Crescente

Dia 14 de outubro é o Dia Internacional do Lixo Eletrônico foi organizado pelo WEEE Forum, uma instituição sem fins lucrativos europeia que é o maior centro multinacional de competência do mundo em termos de know-how operacional referente à gestão de resíduos de equipamentos elétricos e eletrônicos.

O termo “lixo eletrônico” ou “Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos (REEE)” refere-se a todos os dispositivos eletroeletrônicos, bem como suas partes e acessórios, que são descartados por seus proprietários sem a intenção de reutilizá-los. Com o constante avanço das tecnologias no mundo moderno, novos produtos são lançados rapidamente, levando os consumidores a substituir seus equipamentos eletrônicos com frequência, muitas vezes sem necessidade real. Esse fenômeno é conhecido como obsolescência programada e tem contribuído significativamente para o aumento do lixo eletrônico. De acordo com o relatório “The Global E-Waste Monitor” da ONU em 2017, o Brasil descarta em média 1,5 milhão de toneladas de lixo eletrônico anualmente. Globalmente, em 2017, foram geradas cerca de 44,7 milhões de toneladas de lixo eletrônico, o equivalente a 4,5 mil Torres Eiffel. E a previsão até 2021 era de que esse número subisse para 52,2 milhões de toneladas por ano.

Abaixo, alguns fatos sobre o lixo eletrônico.

Obsolescência Programada e o Desperdício: A obsolescência programada, também conhecida como obsolescência planejada, é uma estratégia usada por fabricantes para incentivar a compra de novos produtos, mesmo quando os produtos atuais estão em perfeitas condições de funcionamento. Isso é feito fabricando itens com uma vida útil predefinida, forçando os consumidores a substituí-los com frequência.

Impactos do Lixo Eletrônico: O problema do lixo eletrônico vai além do simples descarte. Os equipamentos eletrônicos contêm componentes tóxicos que, quando descartados de maneira inadequada, podem contaminar o solo e as fontes de água subterrânea, representando um risco para a saúde pública. De acordo com o Centro de Tecnologia Mineral (CETEM), cerca de 70% dos metais pesados encontrados em lixões e aterros sanitários controlados têm origem em equipamentos eletrônicos descartados de forma imprópria.

Logística Reversa como Solução: Desde 2010, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) busca regulamentar a gestão de resíduos, tanto domésticos quanto industriais. A PNRS estabelece que a responsabilidade pela logística reversa de certos produtos deve recair sobre fabricantes, importadores, comerciantes e distribuidores. No entanto, o envolvimento ativo dos consumidores é essencial para iniciar esse processo. Eles devem se comprometer a descartar produtos eletrônicos em locais apropriados, que permitam coleta e reciclagem adequadas.

A logística reversa é um instrumento crucial para a gestão de resíduos, definida na PNRS como um conjunto de ações destinadas a coletar e devolver resíduos sólidos ao setor empresarial para reaproveitamento ou destinação final ambientalmente adequada. A implementação da PNRS tornou as empresas responsáveis pela logística reversa, contribuindo para a redução dos impactos ambientais e riscos para a saúde pública decorrentes do descarte incorreto.

Old computer and electronic waste. Recycling concept

Transformando o Lixo Eletrônico em Oportunidade: O lixo eletrônico, quando gerenciado de forma apropriada, pode se tornar uma fonte de receita para as empresas fabricantes. O reaproveitamento desses resíduos pode não apenas ser lucrativo, mas também crucial para a preservação do meio ambiente, evitando a contaminação do solo e da água. De acordo com a legislação brasileira, a responsabilidade pelo ciclo de vida dos produtos é compartilhada, envolvendo consumidores, comerciantes, distribuidores e fabricantes.

Portanto, todos nós desempenhamos um papel fundamental na resolução do problema do lixo eletrônico. Os consumidores devem descartar seus eletrônicos em locais apropriados, enquanto comerciantes e distribuidores são responsáveis por facilitar o processo de logística reversa, entregando os produtos aos fabricantes e importadores, que, por sua vez, devem garantir a destinação adequada, como a reciclagem. Juntos, podemos enfrentar o desafio do lixo eletrônico e promover uma gestão sustentável desses resíduos. (Fonte: eCycle)

Transformar hoje.
Preservar amanhã.
Inovar sempre.

_______________________________________________________________________________________________

Para refletir: Que tipo de consumidores somos hoje?

Para refletir: Que tipo de consumidores somos hoje?

Vivemos em uma era onde o consumo se tornou uma parte intrínseca de nossas vidas. A cada dia, somos bombardeados com anúncios que nos convidam

Dia Mundial da Reciclagem

Dia Mundial da Reciclagem

No dia 17 de maio, o mundo se une para celebrar uma prática vital para o futuro do nosso planeta: a reciclagem. Este dia é